EuropaItáliaVerona

Verona, a cidade de Romeu&Julieta

Verona é uma cidade pequenininha e super gracinha! Suas ruas de pedra e casinhas coloridas com sacadas fazem você se sentir dentro de um filme. Ela fica no caminho de Milão para Veneza, então é uma boa opção de parada se você vai de uma cidade a outra. Sai de Milão pela manhã e chegando em Verona, deixei a mala no locker da estação de trem e passei o dia na cidade. Peguei a mala no final do dia, e dormi em Veneza.

Para chegar, pegue o trem até a estação Verona Porta Nuova, cerca de 2 horas da estação Central de Milão (depende do trem que você pegar). De lá até o centro da cidade são 20 minutos andando ou 5 minutos de ônibus. A entrada é pela Piazza Bra, a principal praça, você sabe que chegou lá pois vai passar por um portal.

Nesta praça tem vários restaurantes e também um centro de informações, onde você pode pegar um mapa do local e também comprar o Verona Card. Essa é uma ótima dica, pois ele vai te economizar alguns euros, uma vez que a entrada de todas as atrações são pagas e ele dá acesso a maioria delas. Os passes são para 2 ou 5 dias e mesmo ficando apenas 1 vale a pena. O passe de 2 dias custa 15 euros e a entrada da maioria dos lugares gira em torno de 6 euros, ou seja, se for em pelo menos 3 você já está no lucro.

Na própria Piazza Bra fica a arena de Verona, a terceira maior do mundo e palco de grandes óperas. O Verona Card é aceito aqui e a visita te leva  para as arquibancadas enormes e também para os corredores que ficam embaixo delas. Suba até os últimos degraus para ter uma vista aérea da Piazza Bra.

IMG_3168

 

O Castelvechio não fica longe também. Recomendo que faça a visita durante o dia, pois além do museu, é possível andar nas muralhas do castelo. Eu fui no final do dia, já estava escuro e foi meio assustador. Com a luz do sol imagino quetudo fica diferente.

A cidade de Romeu & Julieta tem vários pontos em homenagem a trágica história do casal mais conhecido do mundo, mesmo sendo uma história fictícia. A casa da Giulietta fica a uma caminhada de uns 10 minutos do centro e, apesar de bem discreta, não vai ser difícil de encontrar, pois vai ter um monte de turistas na entrada. Na frente da casa fica a estátua da Giulietta, feita em bronze e com o seio direito amostra. Dizem que pegar no peito dela dá sorte e você vai ver um monte de gente tirando fotos assim – homens, mulheres, crianças… Lá também tem um portão cheio de cadeados bem coloridos com nomes de casais in love, local bem propício para isso! Tudo isso é gratuito, mas a entrada na casa é paga (Verona Card aceito).

A casa em si não tem nada demais, um mini museu onde se vê a cama e roupas dela, você passa pelos cômodos e também pode escrever uma carta para a famosa Julieta. O ponto alto é chegar na sacada e tirar uma foto lá.  Ouvi dizer que é um lugar super disputado e é quase impossível conseguir a tal foto, mas o dia que eu fui estava bem tranquilo. Dica: se estiver em 2 ou mais pessoas, não entrem juntos na casa. Uma pessoa precisa ficar do lado de fora para bater a foto. Se estiver sozinho não vai ter muito jeito.

IMG_3122

 

Existem outras atrações dedicadas ao casal, como a casa do Romeu ou o túmulo da Julieta, mas esses são um pouco mais longe do centro e como estava com o tempo meio apertado não fui.

De lá, caminhe em direção ao rio, a paisagem é linda. Fui no outono e as árvores com suas folhas mudando do verde para o vermelho e amarelo, em conjunto com o rio e as pontes renderam belas fotos!

Do outro lado do rio fica o Giardino Giusti, um jardim labirinto super bem cuidado. Como sempre, a entrada é paga, mas aqui o Verona Card não é aceito (mas rendeu um descontinho). O jardim é cheio de estátuas e é possível caminhar nos labirintos, que são bem baixinhos e não dá para se esconder ou se perder. As crianças adoram e não é difícil vê-las engatinhando. No fundo, há um caminho que leva a um mirante.

IMG_3148

 

A cidade tem ainda algumas igrejas e museus que podem ser visitados. Fui apenas na Santa Maria Maggiore, que na verdade são duas igrejas, uma em cima da outra, de estilos diferentes. Nunca vi uma exposição de arte moderna dentro de uma igreja, foi uma surpresa!

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


No mais, aproveite o clima da cidade! Se perca nas ruazinhas de pedra ou tome um café ou um sorvete em uma das pracinhas. O caminho de volta para a estação de trem é o mesmo. Lembre-se que o locker fecha as 20h, chegue antes ou pegue sua mala no dia seguinte.

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *