FlorianópolisHospedagemSanta Catarina (SC)

Review: Ilha de Santa Catarina Hostel

Indo para Floripa e não sabe onde se hospedar? Bom, fui para lá recentemente e uma dica é: pesquise sobre a cidade e defina o que você quer fazer por lá antes de escolher o local onde vai dormir. A grande badalação de Floripa são as praias (são 42 no total), mas fui em baixa temporada, estava friozinho e com grandes chances de chover, ou seja, a ideia era visitar o que a cidade tem além das conhecidas praias.

Como essa foi a primeira vez que fui para lá, queria ter um overview da cidade, assim posso voltar para explorar cada região com calma. Por esse motivo, ficar em um lugar bem localizado e de fácil acesso era muito importante e optei por ficar no centro.

A RBBV, Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem do qual o Bagagem de Memórias faz parte, tem uma parceria com a HI Hostel Brasil, e eles me ofereceram a hospedagem gratuita no hostel Ilha de Santa Catarina.

O acesso para lá é bastante fácil. Saindo da rodoviária são menos de 10 minutos a pé. Se você chegar pelo aeroporto, como eu, dá para ir tranquilamente de ônibus. Saindo da área de desembarque, a direita tem um ponto. Todos os ônibus que passam por lá param no Ticen (Terminal Integrado do Centro), é o ponto final, não tem como errar. Do Ticen basta caminhar até o hostel, que são uns 10 minutos também.

O hostel é simples, um prédio de 3 andares (não tem elevador) no qual no primeiro fica a cozinha, que pode ser usada pelos hóspedes, a área de convivência e um terraço. O segundo andar é a ala feminina e o terceiro a ala masculina. Eles não possuem quartos mistos, mas abriram uma exceção para mim e me colocaram em um quarto de duas camas na área masculina (fui com o namorado).

O prédio não é novo e a estrutura é bem antiga (típico de prédios do centro), mas o hostel é bem limpo. Com o quarto não foi diferente. O nosso era pequeno, mas limpinho e as camas eram confortáveis. Como disse, o nosso tinha 2 camas, mas tem outros quartos com 2 ou 3 beliches. Todos eles têm lockers para guardar seus pertences (mas leve o seu próprio cadeado).

No check-in eles te entregam lençóis, fronha, cobertor e toalha. Você deve fazer sua própria cama e devolver tudo na recepção no momento do check-out.

O hostel ainda tem opção de quartos para casal e para família, que ficam no prédio dos fundos.

Nosso quarto, com 2 camas
Nosso quarto, com 2 camas (ainda sem arrumar)
Lockers disponíveis em todos os quartos compartilhados
Lockers disponíveis em todos os quartos compartilhados

 

Os banheiros são compartilhados (com exceção dos quartos casal e família) e cada ala tem o seu. Alguns quartos tem um banheiro interno, que é compartilhado entre as pessoas que estão hospedadas lá. Eu particularmente não gosto muito desses, eles podem ser ótimos quando você acorda no meio da noite para ir ao banheiro, no mais os externos costumam ser mais limpos e não fica aquele cheiro desagradável dentro do quarto.

O da ala feminina tinha 3 cabines (1 chuveiro e 2 privadas) e 2 pias. O chuveiro era ok, água não tinha muita pressão e não era muito quente, mas deu para tomar banho sem problemas. O único detalhe é que o box é pequeno e não te lugar dentro para colocar as coisas (roupas e toalha). O banheiro tem alguns ganchos, mas ficam do lado da pia e bem de frente para a porta, que por sua vez fica ao lado da escada que dá acesso a ala masculina. Ou seja, tome banho com a porta do banheiro fechada, correndo o risco de que outras mulheres não consigam entrar ou que elas deixem a porta aberta ao sair.

Meu namorado foi no banheiro masculino e os chuveiros estavam gelados. Ele falou com a recepção e um dos staffs abriu um dos quartos que tem o banheiro interno. O chuveiro de lá era ótimo e quentinho e lugar para deixar as coisas não faltava.

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


Para minha alegria, o wi-fi é gratuito e a velocidade é boa, porém ele não chega nos quartos. Para se conectar é preciso estar na recepção ou no primeiro andar.

O café da manhã está incluso na diária e é servido no primeiro andar. Achei bem simples – pão, queijo, manteiga, geléia, cereais, frutas e pão doce. De bebidas, leite, café, chocolate em pó e suco de laranja.

photo1
Café da manhã do hostel
Área comum
Área de convivência, onde é servido o café da manhã

 

Esse hostel não tem opções de integração, não organizam jantares ou passeios em grupo, e os staffs estão longe de serem os mais animados que existem, mas eles ficam na recepção (que é 24 horas) e podem te ajudar com as orientações que precisar. Utilizamos bastante eles para nos informar sobre que ônibus pegar para chegar aos lugares que queríamos ir e também sobre locais ao redor para jantar.

A localização do hostel é excelente. Além de ser próximo do Ticen, que acredito ser o maior terminal de ônibus da cidade e de lá você pode ir para qualquer lugar de Floripa, ele fica próximo do mercado municipal e demais pontos turísticos do centro e da rua principal que tem uma boa opção de comércio. Praticamente em frente ao hotel tem uma padaria, onde tomamos o café da manhã no dia em que chegamos, e na rua ao lado tem um mercadinho (que também serve refeições).

Há uma quadra e meia fica a Beira Mar Norte, que é ótima para um passeio agradável pela orla, seja caminhando ou pedalando. Por ali existem várias opções de restaurantes, serviços no geral e o Beira Mar Shopping. Dessa mesma avenida se tem uma bela vista do cartão postal de Florianópolis, a ponte Hercílio Luz, e praticamente na sua base fica o Forte Santana, um lugar que vale uma visitinha rápida para tirar belas fotos, principalmente no final do dia, quando o sol se põe e as luzes do forte e da ponte acendem.

O valor da diária dos quartos compartilhados para quem é sócio da HI é de R$ 45,00 na baixa temporada. O valor muda conforme o tipo de quarto, em alta temporada e em datas comemorativas. Vale lembrar que minha hospedagem foi cortesia, mas o relato é opinião pessoal.

 

Você recomenda o hostel Ilha de Santa Catarina?

A resposta é: depende do que você quer fazer. Se seu objetivo em Floripa é passar o dia na praia, eu não recomendo pelo simples motivo que você vai perder um tempão se transportando de um lugar para o outro. Apesar de ser perto da orla, a água não é própria para banho e o lugar nem é uma praia (não tem areia, toda a orla é de pedras). Se você quer ir para praia, fique em um lugar perto da praia e se planeje para conhecer apenas as praias da região (a não ser que esteja de carro).

Agora, se você vai se locomover por diversas partes da ilha (sem carro) para ter um overview, eu recomendo o hostel por estar perto do Ticen. Devido à forma como o transporte público está estruturado, fazer baldeações e pegar inúmeros ônibus para chegar em outros lugares é bastante comum. Fomos sem problemas para Lagoa da Conceição (ônibus direto), para Santo Antonio de Lisboa (ônibus direto), Sambaqui (ônibus direto) e para Jurerê (2 ônibus). Vi relatos de pessoas que estavam hospedados nas praias na região leste e para chegar nas praias do norte tiveram que pegar 4 ônibus.

 

Ilha de Santa Catarina Hostel
Rua Duarte Schutel, 227
Centro, Florianópolis – SC, 88015-640
Tel. (48) 3225-3781 / 3225-4515
E-mail: centro@floripahostel.com.br
Site: www.floripahostel.com.br/unidade/centro
 
* A hospedagem  foi cortesia do hotel. Todas as opiniões são pessoais e garantem transparência para os leitores.

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *