BrasilMundoReflexão

Retrospectiva 2014! E que 2015 venha com muitas viagens

Mais um ano terminando e como toda virada, chega a hora de fazer uma retrospectiva de tudo que aconteceu, dos highlights, do que aprendemos, das pessoas que marcaram o ano, de lugares que se tornaram especiais, acontecimentos insquecíveis e por ai vai.

Como foi 2014 para você? Eu não tenho do que reclamar, foi um ano super especial para mim, afinal foi quando realizei minha volta ao mundo!

O ano para mim começou com planejamentos a todo vapor. Sim, estava no meio do planejamento da minha big trip e exatamente sobre isso foi o nosso primeiro post do ano: como planejar sua viagem. E também em clima de carnaval, quando minha bucket list ganhou um item concluido que foi participar de um desfile de escola de samba.

Pronta para o desfile!
Pronta para o desfile!

 

Em ano de Copa do Mundo no Brasil não podia faltar um post sobre futebol. Não estava no país durante o grande evento, mas pude visitar o Itaquerão, o estádio que sediou a abertura dos jogos.

Quem gosta de viajar atravessa o mundo, mas também viaja dentro da própria cidade. Sampa e seus arredores tem muito para oferecer e em um dia zen fui conhecer o Vale dos Templos e o Templo Zu Lai. Para completar o tour na cidade, me juntei ao Free Walking Tour pelo centro histórico de São Paulo.

No meio de tudo isso, surgiu uma oportunidade de viagem para o Peru. Conhecer Cusco, todos os mistérios da cultura Inca e, é claro, uma visita as ruínas de Machu Picchu não podia ficar de fora do roteiro.

Floripa também está na lista das cidades de 2014 graças à parceria da RBBV com a HI Hostel Brasil, pois foi assim que conheci o Ilha de Santa Catarina Hostel, caminhei pela trilha da Costa da Lagoa e visitei a Fortaleza São José da Ponta Grossa.

Em Machu Picchu
Em Machu Picchu

 

E então começa a viagem ao redor do mundo! A primeira parada foi a super turística e iluminada Nova York. Uma passagem rápida para visitar amigos, passear pelo Central Park, andar pela Times Square e tirar uma foto da Estátua da Liberdade.

Das Américas, segui para a Europa, mais especificamente para a badalada Barcelona, na Espanha, em pleno verão. Uma caminhada por Las Ramblas com parada obrigatória no La Boqueria, o mercadão da cidade. Conhecer Montjuic vale super a pena e qualquer visita à Barcelona precisa incluir pelo menos uma das obras de Gaudi.

Longas caminhadas resumem meus dias em Londres. Entre parques e mercados de rua ou à beira do Tâmisa vendo o Big Ben e a London Eye. Ainda no Reino Unido, a Escócia me encantou. Andar por Edimburgo é como estar dentro de um filme e descobrir os segredos de Harry Potter em cada canto, sem falar nas montanhas e no Lago Ness, que ficam em Highlands.

A rua dos guarda-chuvas de Londres

 

Bélgica tem cidadezinhas que são uma graça, mas a melhor parte do país está nas cervejas, na minha opinião. Um curso para entender um pouco melhor sobre elas vale super a pena, sem falar no Delirium Bar com sua carta com mais de 3 mil rótulos de todo o mundo (mas a seleção brasileira decepciona).

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


E como não se apaixonar pelos canais e bicicletas de Amsterdã, na Holanda? Cidade cheia das políticas de tolerância com as prostitutas no Red Light District e as drogas nos coffee shops.

Uma longa viagem me levou para Ásia, mais especificamente para Bali, a ilha dos deuses. Me encantei com a cultura e tradição do lugar, repleto de templos, mercados de ruas, plantações de arroz e uma surpresa a cada dia. Culinária fantástica e pessoas super amigáveis estão por lá, além das famosas praias. Gili Islands é o paraíso escondido nas ilhas da Indonésia, dias perfeitos para relaxar nas águas cristalinas de suas praias.

Em um dos templos de Bali, vestindo sarong

 

O segundo país asiático foi a Malásia. As Petronas Towers são exatamente como as vemos na TV e Kuala Lumpur é uma cidade vibrante, onde conheci muita gente e me diverti muito. Fui para Cameron Highlands para fugir um pouco do calor sufocante de KL e ver imensas plantações de chá e comer morangos colhidos na hora, mas aqui digo que perrengues fazem parte das viagens.

O próximo destino foi o Japão. Ah! O Japão, sou suspeita para falar desse país. Foi minha terceira vez por lá, mas sempre acho motivos para voltar. Passei alguns dias em Tokyo, visitando uma amiga, depois segui para Fukuoka para visitar outra amiga. Não poderia deixar de passar por Kyoto, a capital cultural do país. A última cidade foi Osaka, de onde voei para Coréia do Sul.

Super tecnológica e organizada, e também com muita história, transformam esse pequeno país em um lugar um tanto quanto interessante. O destaque de Busan vão para as praias, de Seul para seus palácios e do país todo para Jeju Island, com uma infinidade de coisas para fazer – de museus divertidos a praias e trekkings.

Um dos museus engraçados de Jeju Island

 

Hong Kong fica na China, mas é completamente diferente. É fácil perceber a grande influência inglesa nos ônibus double-deck, na direção do trânsito e no inglês facilmente falado pela cidade (além do chinês, é claro). Visitar o Victoria Peak e o Grande Budha são passeios obrigatórios, assim como ver o Symphony of Lights que acontece todas as noites às margens do rio.

A real China mescla história e modernidade. Templos e construções super antigas convivem com arranha-céus. Há muito o que fazer no país, mas com certeza andar pela milenar muralha não pode ficar de fora do roteiro.

Muralha-da-china
Pulando pelo mundo – Muralha da China

 

E então começa a tão esperada trip pelo Sudeste Asiático. Não há lugar no mundo mais encantador que essa região! Tailândia é simplesmente fantástica, cheia de templos lindos, sorrisos fáceis, uma das melhores culinárias do mundo e com certeza praias também. Estar lá é diversão garantida! Estive 3 vezes e tenho planos de voltar.

Me apaixonei pelo Camboja. Os templos de Angkor Wat têm mais de mil anos e surpreendem, com certeza um dos highlights da viagem! Mas o que mais impressiona no país é que o povo tão amigável e receptivo tem um passado recente super triste, basta ver o que aconteceu quando o Khmer Rouge dominou o lugar.

Um dia cuidados de elefantes na Tailândia. Incrível!

 

O Vietnã é outro lugar incrível, superou minhas expectativas. Outro país que carrega consigo amargas histórias da guerra que hoje são contadas nos museus, hoje se reergueu e é um belo destino turístico. O trânsito caótico assusta ao primeiro contato, mas boa comida e jóias como Ha Long Bay, Sapa e Hoi An estão bem guardadas lá.

E o Laos… simplesmente amei estar lá, mais especificamente em Luang Prabang. Cachoeiras lindas, um ótimo night market, templos e o por do sol mais bonito do mundo estavam lá me esperando. Sem falar na ronda das almas, que é algo realmente mágico.

Em uma das cachoeiras de Luang Prabang

 

Hora de pegar as malas e ir para Austrália, ou voltar para lá. Morei em Sydney há anos atrás e foi bom voltar para casa, nem que ela tenha sido temporária. Muitos amigos continuam por lá e foi incrível poder reencontrá-los depois de tantos anos, relembrar a época das aulas de inglês e sentir que o tempo parece não ter passado. Esse foi o principal motivo da minha ida à terra dos cangurus, mas aproveitei a oportunidade para conhecer o Outback, o deserto, que não consegui ir da outra vez e também a praia mais bonita do mundo: Whitehaven Beach.

A última parada da volta ao mundo foi em Mendoza, na nossa vizinha Argentina. Não sou muito fã de vinho, o grande atrativo da região, mas adoro as montanhas, principalmente se elas fizerem parte da Cordilheira dos Andes. Ver o Aconcagua, a montanha mais alta das Américas, com quase 7 mil metros, foi incrível!

O famoso Uluru, no deserto australiano

 

Ufa! Deu saudades de cada lugar ao escrever esse post. E assim foi 2014, não tenho do que reclamar! Ano maravilhoso, cheio de viagens, aprendizados, memórias, novos amigos e novas experiências. Muita história para contar aqui no blog, que não consegui escrever na estrada, mas está tudo registrado para não escapar nenhum detalhe.

E que 2015 venha com tudo! É claro, muitas viagens também! Acompanhe por aqui nossas aventuras do próximo ano.

 

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Nascida em São Paulo, já chamou de casa o Japão, a Austrália, o Chile e tem o passaporte carimbado por uma volta ao mundo. Descendente de japoneses com orgulho e ativa na comunidade nikkei, participa de projetos para divulgação do Japão e para o fortalecimento da cultura japonesa no Brasil. Está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

2 Comments

  1. Nossa, gente, quanto roteiro legal!!! Amei sua volta ao mundo
    Parabéns

    • 10/01/2017 at 11:23 — Responder

      Obrigada Dri!!
      Tenho saudades da minha volta ao mundo todos os dias. Querendo fazer mais uma!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *