AustráliaOceaniaSydney

Ressaca…

Sexta depois do trabalho estava voltando para casa e encontrei a prima de uma amiga minha e a amiga dela no ônibus, 2 brasileiras. Elas estavam bebadas e indo pra balada, e insistiram para eu ir com elas. Como se não bastasse, ainda me deram meia garrafa de vinho, porque elas já tinham bebido muito! (e meu chefe resolveu beber whisky agora, e eu tinha acabado de tomar 2 copos). Fomos para balada. Fazia tempo que eu não me divertia assim! Acho que essa é a diferença da cia brasileira!
E veio o sábado, que dia engraçado! Desliguei meu despertador porque minhas aulas acabaram, e esqueci de ligar. Não acordei pra ir trabalhar. Na verdade acordei às 9h com o meu cel tocando, e adivinha quem era? Meu chefe! OMG! Ele disse pra ir às 11h, e chegando lá ele disse: o que você está fazendo aqui? Está muito tarde, vai embora para sua casa! Vai entender! Mas isso era tudo que eu queria ouvir, queria voltar mesmo pra casa e dormir para passar a ressaca. E foi isso que fiz, dormi a tarde toda!
Acordei pra ir para o outro trabalho, que foi o mais engraçado de todos! Tinha que chegar às 5h e normalmente eu chego às 6h, mas aquele dia meu chefe pediu pra ir mais cedo. Cheguei muito cedo, vai entender os horários dos ônibus daqui!
 
Estava tudo indo bem, estava sozinha no andar de cima, quando meu amigo subiu pra me ajudar e rir da minha cara. Minha cabeça definitivamente não estava funcionando. Tudo que ele me perguntava eu tinha que parar e pensar, fora os vários pequenos erros absurdos que eu nunca tinha feito! Não sei quantas vezes ele me perguntou: o que você tem hoje? Está sonhando acordada?
 
No final, uma mesa ficou lá até tarde, ele foi embora pra pegar o último ônibus e eu fiquei esperando a boa vontade deles resolverem voltar pra suas respectivas casas. Terminei tudo meia-noite e meia (normalmente termino às 11h) e não mais tinha ônibus para voltar para casa! Ganhei uma carona do chefe!
 

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Nascida em São Paulo, já chamou de casa o Japão, a Austrália, o Chile e tem o passaporte carimbado por uma volta ao mundo. Descendente de japoneses com orgulho e ativa na comunidade nikkei, participa de projetos para divulgação do Japão e para o fortalecimento da cultura japonesa no Brasil. Está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *