ÁsiaSingapura

‘Must See’ de Singapura

Quem vai a Singapura precisa experimentar o famoso Singapore Sling, um coquetel criado em 1915, servido no Long Bar, no Raffles Hotel. Uma característica peculiar do local é que eles servem amendoins e suas cascas devem ser jogadas no chão, que está repleto delas. Não faço ideia de como é o chão original de lá, não dá pra ver. A única coisa que se enxerga são cascas de amendoim.

Uma das principais atrações turísticas daqui é o Night Safari, um passeio de tram, para ver os animais depois que o sol se põe. Ainda é possível fazer algumas trilhas (são 4 no total, mas só fiz uma delas. Foi o que o tempo permitiu) para ver os bichinhos mais de perto – lobos, búfalos, tigres, elefantes, hipopótamos, rinocerontes, morcegos, zebras, girafas, lontras, um monte de tipos de veados e outros animais que não sei o nome. Um show de pirofagia é um plus para o local, que também tem um show que mostra animais adestrados (não vi esse).

Night Safari

Boa variedade de animais. As fotos não ficaram boas, estava muito escuro

Show de pirofagia


Sentosa, uma ilha ao sul de Singapura, na minha opinião, é totalmente inspirada nos parques americanos. A entrada é via cable car e a vista panorâmica permite ver que muita coisa ainda está em construção (talvez metade da ilha esteja em obras). Além de grandes hotéis, lá tem uma Universal Studios (não fui) e o complexo de Sentosa. Me senti na Disney! A organização das atrações é do mesmo jeito, e inclusive outros detalhes.

Chegando em Sentosa de cable car

Sentosa, uma área ainda em construção

Fui em um aquário, não muito grande em tamanho e em variedade de espécies, com um túnel de vidro água bem bonito. Vi também um show de golfinhos cor de rosa (nunca tinha visto golfinhos dessa cor), que na verdade foi um show de leões marinhos (muito bonitinhos!), já que os golfinhos não mostraram muitas habilidades.

Túnel de vidro

Variedade de peixes e corais

Golfinho cor de rosa!

Show dos leões marinhos

Uma das atrações contou toda história do país, com foco na mistura das 4 influências – Malásia, China, Índia e Inglaterra. Outra falou sobre o Malay, o símbolo do país, formado pela figura de uma criatura com cabeça de leão e corpo de peixe. O passeio nesse parque terminou com um show tecnológico, com lasers, fogo, água (como a fonte do Ibirapuera), luzes, fogos de artifício e música. A tecnologia é muito boa, mas o conteúdo da história foi bem fraco.

Singapura é formada, principalmente, pela influência de chineses, indianos, malaios e ingleses

"To understand the present and antecipate the future, one must know enough about the past, enough to have sense of the history of a people"

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Nascida em São Paulo, já chamou de casa o Japão, a Austrália, o Chile e tem o passaporte carimbado por uma volta ao mundo. Descendente de japoneses com orgulho e ativa na comunidade nikkei, participa de projetos para divulgação do Japão e para o fortalecimento da cultura japonesa no Brasil. Está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *