AustráliaOceaniaSydney

Minha nova amiga Thai

Ontem não fui pra aula, fui fazer um curso não tão interessante. Sabia que para vender bebidas alcoólicas aqui é preciso um certificado? E como eu vendo bebidas no restaurante, eu preciso dele.
Foi um curso em que se “aprende” que não é permitido vender bebidas para menores, para pessoas bebadas, se aprende a identificar pessoas bebadas, que vodka e whisky são mais fortes que cerveja, e mais outras coisas. Ou seja, é um curso meio inútil, nada que não se aprende na pratica!
 
O curso foi na city, e terminou umas 4h da tarde. Tinha o resto do dia pra aproveitar por lá, então fui ao museu marítimo, pois a entrada era de graça. Nada de muito interessante: alguns navegadores australianos, ingleses e imigrantes que vieram pra Austrália, e tinha uma parte sobre vikings (não sei qual a relação com Austrália, mas ok).
 
E lá estava eu, quando alguém me pede para tirar uma foto. Ok, tirei a foto. 5 ou 10 minutos depois, a mesma pessoa pede para tirar outra foto. Começamos a conversar e ganhei uma amiga tailandesa que mora em Melbourne e estava em Sydney. Tinha acabado de chegar e não conhecia nada da cidade.
 
Ela perguntou se eu sabia chegar na Opera House. Fomos até lá, e como era um pouco longe acabamos passando o resto do dia juntas. Fomos ainda na Harbour Bridge, e depois jantar na Chinatown. Voltamos cada uma para suas respectivas casas e cheguei meia-noite. 
Ela volta para Melbourne nessa sexta, e quando eu for para lá já tenho quem procurar!
 
 
CURIOSIDADE DO DIA: falando em asiáticos, estava conversando com as japonesas e koreanas ontem sobre tipo sanguíneo. Descobri que eles acreditam que o tipo sanguineo influencia a personalidade das pessoas, como se fosse um horóscopo. Pessoas com sangue tipo A são timidas, e tipo B são meio loucas (se a memória não falha). Cada país com a sua cultura, né?

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Nascida em São Paulo, já chamou de casa o Japão, a Austrália, o Chile e tem o passaporte carimbado por uma volta ao mundo. Descendente de japoneses com orgulho e ativa na comunidade nikkei, participa de projetos para divulgação do Japão e para o fortalecimento da cultura japonesa no Brasil. Está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *