IlhabelaSão Paulo (SP)

Ilhabela é mesmo bela

Relaxar com o pé na areia, aproveitar o sol e uma caipirinha, curtir trilhas e um banho de cachoeira ou se aventurar nos esportes náuticos. Que tal tudo isso em um lugar só? A Ilhabela é um refúgio de grandes metrópoles como São Paulo e Rio e fica à poucas horas de estrada.

A ilha tem uma excelente estrutura para receber turistas, com opções de hotéis e pousadas para todos os bolsos e gostos. Bons restaurantes, lojinhas de artesanato e vida noturna também fazem parte do lugar.

 

Como chegar em Ilhabela

Ilhabela está localizada no litoral norte paulista, no eixo São Paulo – Rio, e a melhor forma de chegar é de carro, também sendo possível ir de ônibus.

Para quem sai de São Paulo, basta seguir pela Rodovia Ayrton Senna e Carvalho Pinto até São José dos Campos, pegar a saída para a Rodovia dos Tamoios até Caraguatatuba e seguir pela Rio-Santos até São Sebastião. Outra opção é descer pela Rodovia dos Imigrantes e contornar o litoral pela Rio-Santos até São Sebastião. Ainda é possível ir pela Mogi-Bertioga e depois Rio-Santos.

Para quem sai do Rio de Janeiro, é só pegar a Rio-Santos até Caraguatatuba e depois seguir em direção à São Sebastião.

Para quem vai de transporte público, pegar um ônibus até São Sebastião, que sai das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

De São Sebastião até Ilhabela o trajeto é de balsa. A travessia dura cerca de 15 minutos e as embarcações saem a cada 30 minutos. Pedestres e bicicletas são isentos de cobrança, já veículos motorizados precisam pagar uma taxa que varia conforme o tipo de veículo e o dia da semana. Sábados, domingos e feriados são mais caros.

Em dias de maior movimento, como feriados e alta temporada, o tempo de fila da balsa pode ser considerável, chegando a 2, 3 ou mais horas. É possível agendar online sua travessia e evitar esse tempo de espera. O agendamento deve ser feito pelo menos 2 horas antes da sua chegada e a tolerância é de 30 minutos antes ou depois do horário agendado. O valor é bem mais alto do que a travessia comum.

Para visualizar as tarifas da balsa ou fazer o agendamento, acesse o site da DERSA, empresa responsável pela travessia.

Eu fui no feriado de páscoa e fiquei na dúvida entre fazer o agendamento ou não. A travessia agendada é bem mais cara (R$ 22,50 a comum e R$ 77,60 a agendada) e não sabia como prever qual o horário iria chegar, considerando o trânsito de feriado, e corria o grande risco de perder o agendamento por chegar atrasada. Optei por não agendar, sair cedo, encarar a fila mesmo e não ter a chance de perder os R$ 77 e ainda ter que pagar mais R$ 22. Curiosamente esse foi um feriado em que poucas pessoas viajaram, a estrada estava vazia e a balsa sem nenhuma fila. Acho que tive sorte!

estrada ilhabela
A caminho de Ilhabela

 

Onde ficar em Ilhabela

Opções de hospedagem não faltam. De hotéis chiques e pousadas boutiques à hostels e área de camping. Há pousadas mais simples, bed&breakfast e chalés também. Se estiver em grupo, que tal alugar uma casa de temporada?

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


É importante escolher bem em que ponto da ilha vai ficar. Estar perto da vila pode ser uma boa opção e se você puder fazer tudo a pé a noite vai evitar o trânsito da região. Ficar perto de Perequê também é uma boa, o local tem boa estrutura, fica perto da balsa e com fácil acesso para o norte e para o sul. O norte é mais próximo do centro de comércio e serviços, já o sul é melhor para quem quer mais contato com a natureza.

Pôr do sol na Praia do Portinho, Ilhabela
Pôr do sol na Praia do Portinho

 

O que fazer em Ilhabela

Vamos começar pelo óbvio: praias. Ilhabela é um município-arquipélago formado por 14 ilhas, cerca de 130 km de costa e mais de 40 praias. As voltadas para o continente têm águas tranquilas e são ideais para levar as crianças, para snorkel ou para stand up paddle. Já as de mar aberto têm acesso mais difícil e são boas para o surf.

Entre as mais conhecidas está a badalada Praia do Curral, onde fica o hotel DPNY com suas festas cheia de ostentação, a Praia Jabaquara, no extremo norte e considerada uma das mais bonitas da ilha, assim como a Praia do Bonete, no extremo sul da ilha, acessível apenas por lancha ou por uma trilha de 15km, e a Praia dos Castelhanos, do lado de mar aberto e com acesso por lancha ou veículo 4×4.

Para quem não quer água salgada, que tal se refrescar em uma cachoeira? São mais de 360 pela ilha, mas apenas uma pequena parte delas (cerca de 30) pode ser utilizada para banho. A com acesso mais fácil é a Cachoeira dos Três Tombos, com entrada próxima à Praia da Feiticeira. A Cachoeira da Lage tem um escorregador natural e poços de água cristalina e seu acesso é pela Trilha do Bonete (cerca de 40 minutos de caminhada fácil). Já a Cachoeira do Gato é a mais visitada e a maior da ilha, com uma queda de 80m e piscinas de água transparente, seu acesso é pela trilha que parte da Praia de Castelhanos, são 30 minutos de caminhada com nível de dificuldade médio.

Ilhabela é o lugar ideal para os esportes de água. Conhecida como a capital nacional da vela, é possível praticá-la em diversos pontos da ilha. O surf está presente nas praias de mar aberto como Bonete e Castelhanos. Já para quem prefere uma prancha com menos agitação pode optar pelo stand up paddle, muito comum em todo lado continental da ilha, assim como o caiaque que também é uma opção para as praias de águas tranquilas. Se você gosta da vida marinha pode fazer snorkel e para uma experiência mais profunda um mergulho. São diversos pontos de naufrágio que guardam as belezas do fundo do mar. E para aqueles que preferem algo menos molhado, a costa da ilha tem diversos pontos para pescaria.

ilha das cabras-ilhabela
Ilha das Cabras, um dos melhores pontos de mergulho de Ilhabela

As opções de esporte de aventura também são variadas. O mais comum é o trekking, desbravando as trilhas no meio da mata que levam à cachoeiras lindas (como falamos aí em cima). Tem as mais fáceis e para os experientes, a que vai até a Praia do Bonete leva 5 horas de caminhada. Com tantas quedas d’água, é claro que tem rapel na ilha e tem também rali, como o percurso em 4×4 até Castelhanos.

Se você é amante da natureza, que tal um passeio para observar os pássaros, conhecido como birdwatching? A ilha tem cerca de 90% de seu território coberto pela Mata Atlântica e mais de 300 espécies de pássaros vivem lá. Para quem quer uma opção mais confortável, tem passeio de escuna para o norte da ilha.

O centro histórico de Ilhabela é conhecido como vila e reúne restaurantes, lojas, cafés, artesanatos etc. É o ponto de encontro do pessoal no fim do dia para tomar um sorvete, jantar ou passear. A principal rua é a Rua do Meio. Uma refeição na região ou um passeio à noite pelo pier é obrigatório, só para sentir o clima do local. Vale lembrar que a noite o movimento de carros é grande e estacionar é difícil, ir cedo para conseguir uma vaga e pegar menos trânsito pode ser uma ótima ideia.

Ufa! Já viu que o que fazer na ilha não é problema, né? O difícil vai ser arranjar tempo para fazer tudo isso!

 

Como se locomover

A maioria das pessoas circula de carro. Talvez seja o mais prático, porém a ilha não está preparada para uma grande quantidade deles. Tem trânsito e é bem difícil estacionar, dependendo do horário e do local. Achar uma vaga pela manhã nas praias mais badaladas é um desafio e ir para o centrinho no horário da janta é um teste de paciência. Utilizar horários alternativos é uma ótima ideia para fugir do congestionamento!

É possível encontrar estacionamentos perto de algumas praias, mas a estrutura deixa a desejar e os preços não são muito diferentes de São Paulo. Na vila há o sistema de zona azul, aquele que você deixa um ticket dentro do carro com o horário em que estacionou e vale por 1 hora. Preste atenção às placas para evitar multas indesejadas.

Se estiver sozinho ou em 2 pessoas, uma moto pode ser uma boa opção! Mais fácil de circular e estacionar. Para distâncias curtas opte por caminhar ou pela bicicleta. Há ônibus que circulam por Ilhabela, mas o serviço é demorado e não chega à todos os lugares.

Para conhecer o outro lado da ilha, o de mar aberto, é preciso ir de lancha ou com veículo 4×4, devido às condições das estradas. Há opções de passeio nas agências turísticas que incluem a lancha ou o carro com motorista.

ilhabela-pedras miudas
Praia Pedras Miúdas

 

O que levar

Depende de qual seu objetivo na ilha. É descansar na praia, conhecer as trilhas e cachoeiras, praticar esportes náuticos ou todos eles?

O local é bem descontraído. Roupas leves e confortáveis para o dia e algo mais arrumado se quiser curtir a noite. Se for para as trilhas, um bom tênis ou uma bota de caminhada é super importante. É possível alugar equipamento pela ilha para todos os esportes aquáticos, ou utilizar o seu.

Protetor solar é sempre recomendado e independente do que você for fazer, um repelente não pode faltar na sua mala. Ilhabela é famosa por seus borrachudos e eles não perdoam! Alguns lugares são piores que outros, como perto de cachoeiras e de mato mais denso, mas eles estão por toda a parte e se você não se proteger, espere ser picado quando estiver na praia, nas trilhas ou almoçando em um restaurante. Talvez o único lugar realmente seguro (dos borrachudos) seja dentro da água.

 

Leia também:

A trilha da Costa da Lagoa

Vale dos templos em São Paulo

O que fazer em Santo Antônio do Pinhal

Extrema – Rota dos Ventos e Rota das Águas

Os caminhos de pedra de Bento Gonçalves

 

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Nascida em São Paulo, já chamou de casa o Japão, a Austrália, o Chile e tem o passaporte carimbado por uma volta ao mundo. Descendente de japoneses com orgulho e ativa na comunidade nikkei, participa de projetos para divulgação do Japão e para o fortalecimento da cultura japonesa no Brasil. Está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *