BrasilSão PauloSão Paulo (SP)

II Japão.br explora a cultura japonesa em São Paulo

Aquele projeto que a gente cria e cuida com todo carinho chegou a sua segunda edição. O II Japão.br aconteceu nos dias 20 e 21 de outubro e reuniu 15 blogueiros de diferentes partes do Brasil para falar sobre a cultura japonesa.

Um grande incentivo do evento é estarmos no período em que se comemora os 110 anos da imigração japonesa no Brasil, além de este ser um assunto que eu tenho interesse em saber cada vez mais. 

O planejamento desta edição foi feito com todo cuidado, buscando ressaltar pontos importantes para que os participantes enxergassem não apenas pontos turísticos, mas lugares que têm muita história e muito sentimento por trás. A proposta foi que eles percebessem os valores da cultura exalando em cada cantinho. E que saíssem encantados com cada detalhe. Objetivo atingido? Pelo depoimento de cada um deles, eu acredito que sim!

Saiba mais sobre o Japão.br

 

II Japão.br, explorando a cultura japonesa

O II Japão.br teve início no prédio da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social – Bunkyo. Não poderia ter lugar melhor, senão o principal centro de cultura japonesa do país, para a abertura do evento e para a primeira palestra: A essência da cultura japonesa, ministrada pela coach Carla Okubo.

Carla foi brilhante ao começar sua fala dizendo que “para entender uma cultura é preciso calçar os seus sapatos”.  E seguiu discorrendo sobre a história da vinda dos japoneses para o Brasil, os motivos e dificuldades ao chegar. Tudo de uma forma cheia de sentimentos, antes de entrar em uma das partes mais importantes do conteúdo de todo o evento.

Ela falou sobre assuntos que compõem a base da sociedade japonesa. Se você já reparou ou se perguntou o motivo dos japoneses recolherem o lixo nos jogos da copa, de parecerem sempre tão educados, na grande atenção aos pequenos detalhes, na força e resiliência que demonstram… bom, isso faz muito sentido ao se compreender os princípios e valores que estão por trás de tudo.

As raízes são profundas e começam no código de ética que regia a vida dos samurais – o bushido, criado por volta do século X. Os tempos mudaram muito, um tanto de coisas foram adaptadas mas a essência se mantém. Nos dias de hoje, os japoneses têm incorporado comportamentos guiados pelo omotenashi, omoyari, gamam, mottainai, kansha entre outros. Não vou aprofundar esses temas agora porque eles merecem um post exclusivo.

Se prestarmos um pouquinho de atenção, é possível ver tudo isso nos lugares e nas pessoas que nos receberam durante o resto do evento.

“Para entender uma cultura é preciso calçar seus sapatos”, por Carla Okubo.

 

Museu da imigração japonesa no Brasil

Seguimos com um mergulho na história de como e porquê os japoneses chegaram ao Brasil. Essa parte do evento foi conduzida pela Lidia Yamashita, vice-presidente do Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil e quem guiou pelo museu a Princesa Mako, membro da família imperial japonesa, quando ela esteve no Brasil (olha quanta honra!)

Eu acredito que conhecer a história que foi construída pelos primeiros imigrantes é fundamental para entender onde estamos hoje, por isso, o museu fez parte das duas edições do Japão.br. Assim como outros grupos de imigrantes que chegaram por aqui, os japoneses têm uma história difícil que envolve muita luta, superação e dedicação.

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


Vale dizer que o segundo andar do museu foi todo reformado e ficou lindo! Tivemos a oportunidade de ver as novas instalações, muito mais modernas e com toda comunicação em português, inglês e japonês. O primeiro andar está em obras e será inaugurado em 2019. Fica a dica: vale muito a pena conhecer!

Leia também: Museu da Imigração Japonesa, no bairro da Liberdade

Tour no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, guiado por Lidia Yamashita.

 

Almoço tradicional na Peixaria Mitsugi

Como todo bom evento que envolve cultura japonesa, o lado gastronômico não podia ficar de fora. Nosso almoço foi na tradicional Peixaria Mitsugi, que fica no coração do bairro da Liberdade. O local foi aberto em 1971, ou seja, são mais de 45 anos de sashimi fresquinho e preparado na hora.

Desde o ano passado, a Peixaria Mitsugi se estruturou para funcionar também como restaurante e abriu suas portas para servir almoço e jantar para o público. Os produtos são de ótima qualidade, a comida é excelente e com preço super justo.

Tivemos um super almoço, com direito a 300g de sashimi cada (isso é muito peixe, gente!) e entradinhas. Tudo regado de muito sparkling sake, o novo produto da Azuma Kirin (bebida estilo ice, à base de sake e frutas. É muito gostoso!). De sobremesa, o famoso choux cream da Vivianne Wakuda.

Veja também: Top 5 restaurantes na Liberdade (na minha opinião)

Olha a cara de felicidade dessa turminha com essa orgia gastronômica!

Blogueiros almoçando na Peixaria Mitsugi

 

Pavilhão Japonês, cultura, arquitetura e música

Nosso próximo destino foi o Pavilhão Japonês, que fica dentro do Parque do Ibirapuera, um dos símbolos da cidade de São Paulo. É um local de paz e tranquilidade, para se refugiar do agito e caos que a cidade tem. Dá pra esquecer dos problemas da vida por alguns instantes mesmo.

Fomos super bem recepcionados por Shen Ribeiro, vice-presidente do Pavilhão Japonês, mestre em shakuhachi e presidente da Associação Brasileira de Música Clássica Japonesa. Além de nos explicar sobre a maravilhosa construção em que estávamos, ele falou sobre a influência do budismo na cultura japonesa e nos presenteou com uma incrível demonstração de shakuhachi, a flauta japonesa feita de bambu e utilizada em cerimônias do zen budismo desde o século VIII.

O Pavilhão Japonês é uma jóia arquitetônica na cidade. Foi um presente do governo japonês, erguido em 1954 para as comemorações dos 400 anos da cidade de São Paulo e inspirado na vila de Katsuura, em Kyoto, no Japão. Todo o material utilizado em sua estrutura foi trazido do outro lado do mundo.

Vale destacar a técnica japonesa de encaixes, utilizada em sua construção. A madeira é milimetricamente cortada para que as partes se conectem de forma precisa. Não são utilizados pregos ou parafusos. Mais destaques? O belíssimo jardim japonês no estilo zen merece atenção, assim como o lago cheio de enormes carpas.

 

Pavilhão Japonês, uma jóia arquitetônica no Parque do Ibirapuera.

 

Excelente comida asiática, no Hoko Restaurante

Todos ainda estavam no processo de digestão do almoço, mas nossa parada seguinte era para o jantar. Quem nos recebeu foi o Hoko Restaurante, especializado em comida asiática e localizado ao lado do metrô Fradique Coutinho (linha verde).

Atendimento gentil, ambiente agradável e comida deliciosa ficam como destaque da casa. O restaurante tem uma grande variedade de entradinhas e pratos à base de arroz e noodles. A foto ai embaixo é do wagyu bao burger, uma grande mistura de diferentes partes da Ásia. A carne de wagyu é japonesa, extremamente suculenta e saborosa, o pão macio é taiwanês e a acelga condimentada (kimchi), coreana.

Vale também experimentar os refrescos caseiros que são bem gostosos. E de sobremesa, apesar de não muito oriental, a mousse de chocolate é divina! Bom, não vou dar muitos detalhes aqui porque é tanta delícia que o Hoko Restaurante também merece um post exclusivo.

Wagyu bao burger, do Hoko Restaurante. Macio e saboroso.

 

Mercure bela Vista, o hotel oficial do II Japão.br

O segundo dia do II Japão.br começou como? Cheio de comida no hotel oficial do II Japão.br. Os blogueiros que vieram de fora de São Paulo ficam hospedados lá.

O Mercure Bela Vista tem um café da manhã ótimo, com variedade de pães, frutas, ovo, salsicha etc. O pão de queijo é maravilhoso e chega em saquinhos, quentinho na mesa. Além disso, o hotel tem salas que comportam desde pequenas reuniões à eventos de 150 pessoas.

Fomos conhecer os quartos, que são confortáveis e espaçosos o suficiente para uma pequena bagunça que fizemos (olha ai embaixo). E o Mercure Bela Vista tem ainda um heliponto com uma vista sensacional.

 

Japan House, o lado contemporâneo da cultura

Não longe dali fica a Japan House, no comecinho da Av. Paulista. Foi um dos lugares que os blogueiros mais gostaram, porque… quem não gosta de lá?

Quem nos recebeu foi Cláudio Kurita, diretor de operações da casa. Ele explicou sobre o conceito da Japan House e nos levou para conhecer as duas exposições – Dimensão, do duo Nonotak, e Aromas & Sabores (que estava em seu último dia).

Saiba mais: Japan House, o Japão contemporâneo no Brasil

Tivemos ainda uma palestra de Claudia Nakazato e Fernando Matsumoto, que retornaram do Japão recentemente, após participação no Programa de Convite ao Japão para Descendentes de Japoneses da América Latina e Caribe, promovido pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo. Eles falaram um pouco sobre a experiência do outro lado do mundo e das percepções da cultura japonesa e nikkei brasileira.

Durante nossa visita à Japan House, tivemos a presença da cônsul do Japão em São Paulo para assuntos políticos e gerais, Reiko Nakamura. Tá ficando muito chique esse Japão.br!

Blogueiros em uma das obras do duo Nonotak, na Japan House. Com Cláudio Kurita e a cônsul Nakamura.

 

ABEUNI Food Experience

E o evento não podia terminar de outra forma, senão… comendo! Fomos todos para o primeiro ABEUNI Food Experience, evento que reuniu chefs renomados como Jiang Pu (ex-masterchef), Guilherme Cardadeiro (ex-masterchef), Telma Shiraishi (chef do conceituado japonês Aizomê e responsável pela cozinha do Consulado Japonês), Waldomiro dos Santos (banqueteiro dos famosos), Cesar Yukio (chef patisserie do Aizomê) entre outros. Estava também presente o Hachi Crepe & Café, que faz crepes doces no estilo japonês (pra se sentir de volta à Tokyo) e foi nosso parceiro na primeira edição do Japão.br. Toda a renda deste evento é revertida para projetos assistenciais.

A ABEUNI é uma entidade beneficente que realiza um lindo trabalho em comunidades carentes de São Paulo. Com projetos na área da saúde e da educação, seus voluntários impactam a vida de centenas de pessoas, levando atividades e ferramentas que proporcionam uma melhor qualidade de vida para quem é atendido. Nosso grupo foi recebido pela Carimie Romano, presidente da ABEUNI, e pela sua vice, Nami Ono, que explicaram com muito amor a história e o trabalho realizado.

Poke, por Telma Shiraishi do Aizomê, durante o ABEUNI Food Experience.

O II Japão.br contou ainda com a participação de Laço Cerâmica, que faz cerâmica no estilo japonês, e Cacare.co, com peças cheias de fofura e inspiração nipônica. Os dois colaboraram com itens para presentear os blogueiros e parceiros.


Esse foi um rápido resumo do II Japão.br. Difícil descrever em palavras o sentimento de ver cada rostinho encantado com cada lugar que passamos. Foi, realmente, um final de semana especial, com um grupo que criou uma sintonia incrível.

Registro também meu agradecimento à todos os parceiros que nos receberam de forma gentil e compartilharam seu conhecimento com o grupo. E também àqueles que não estavam presentes no dia, mas contribuíram muito para a realização do II Japão.br. Sem vocês, não seria possível.

 

 

Parceiros:
Bunkyo | Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil Pavilhão Japonês | Japan House | Azuma Kirin | Azuma Sparkling | Peixaria MitsugiHoko Restaurante | ABEUNI | Mercure Bela VistaHeloisa Yamamoto | Laço Cerâmica | Cacare.co

Blogueiros participantes:
Bagagem de Memórias | Abraço Mundo | Casa de Doda | Ideias na Mala | Itinerário de Viagem | Kari Desbrava | Mulheres Viajantes | Orientando-se pelo Mundo | SP da Garoa | Tá na Minha Rota | Top 5 Tour | Turistando com a Lu | Trippolis | Viajante Móvel | Yomitai

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

12 Comments

  1. 27/10/2018 at 20:35 — Responder

    Patê o evento foi lindo, mega bem orquestrado, emocionante, delicioso e que me deu muitos pontos de reflexão sobre a identidade nikkei. Foi uma viagem às origens e no final, fiquei morrendo de vontade de abraçar a minha batyan querida de 96 anos por tudo o que ela sempre me proporcionou!
    Os parceiros foram maravilhosos e merecem todo o sucesso do mundo pela gentileza, atenção e carinho que nos deram!
    Parabéns a você por tanta garra em organizar um evento transformador de vidas! Bj e mto obrigada! De coração!

    • 28/10/2018 at 17:57 — Responder

      Ai, que comentário lindo!
      Refletir sobre a identidade nikkei não estava nos planos, mas se isso aconteceu eu fico super feliz. Esse é um assunto que super me interessa e que venho trabalhando dentro da comunidade. É maravilhoso saber que isso expandiu. =)
      Os parceiros foram realmente sensacionais! O grupo tbm. Deu tudo muito certo!
      Já juntando energia para o próximo.

  2. Marcela
    13/11/2018 at 10:25 — Responder

    Que evento lindo! O pouco contato que tive com a cultura japonesa (morei em SP só por alguns meses) me fez querer aprender mais. Lendo esse post eu aprendi muita coisa e fiquei com vontade de saber mais ainda. Parabéns!

    • 15/11/2018 at 12:32 — Responder

      Marcela,
      Obrigada!!
      Eu acho que temos muito o que aprender com essa cultura. Mesmo tendo bastante contato, cada dia é uma lição nova que a gente leva pra vida toda.
      Se inscreve para participar dos próximos!

  3. 13/11/2018 at 12:19 — Responder

    Eu adoro os provérbios japoneses… Sempre me colocam para refletir… Acho incrível como o Brasil abe as portas, e abriu muito no passado, para imigrantes. É uma mistura cultural que me encanta! E o Japão tem tanta coisa interessante que só fez engrandecer o nosso país!

    • 15/11/2018 at 12:38 — Responder

      Jessica,
      Tudo na cultura japonesa tem significado, tem um motivo e razão. É uma reflexão sem fim.
      Essa mistura de culturas do Brasil é encantadora mesmo. Só vem para agregar!

  4. 13/11/2018 at 21:00 — Responder

    Achei este um evento lindo! Acompanhei de longe e, além de aprender um pouco mais sobre a cultura japonesa, matei um bocadinho das saudades de quanto estive no Japão. Para completar tenho agora uma lista de lugares que quero muito visitar quando estiver novamente em São Paulo, esta cidade tão múltipla! 🙂 bj e parabéns pela organização!

    • 15/11/2018 at 12:34 — Responder

      Ai, que lindo!
      É fácil ficar com saudades do Japão, né? Eu sempre tenho, não importa quantas vezes vá para lá.
      Me avisa quando estiver em São Paulo. Se precisar de dicas é só falar!

  5. 15/11/2018 at 18:09 — Responder

    Que evento lindo! Não tenho muito contato com a cultura japonesa, mas entendo que eventos como esse são importantíssimos. Dialogar e entender uma cultura tão presente em alguns lugares do país, também ajuda a entender nossa própria história. Abraços!

    • 17/11/2018 at 12:44 — Responder

      Denise,
      Com certeza. Tem muita mistura de cultura na história do Brasil e entender um pouco delas é entender de onde viemos. =)

  6. 15/11/2018 at 22:42 — Responder

    Acompanhei pelo stories… 😉 Gosto da cultura japonesa e adorei ver mais detalhes de cada lugar que vc’s passaram!! Obrigada por compartilhar essas dicas!

    • 17/11/2018 at 12:45 — Responder

      Carlina,
      Quem bom que gostou!
      Tem muita coisa para conhecer em São Paulo. Precisando, é só falar.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *