Foz do IguaçuParaná (PR)

Foz do Iguaçu – Usina de Itaupú

Depois de passar o dia com as 3 meninas de Londres, fomos jantar numa pizzaria. Na noite anterior elas foram em uma churrascaria e não gostaram porque não esperavam tanta comida e acabaram comendo mais do que queriam. Elas ficaram meio impressionadas pelo esquema de rodízio ser o mesmo da churrascaria e até perguntaram se isso era normal no Brasil. Mesmo em uma cidade turistica o Brasil não é preparado para atender pessoas estrangeiras. Eu tive que traduzir todos os sabores de pizza para elas. Enquanto estava no frango, presunto, ovo e batata-frita, ok, mas como se traduz polenta, lombinho, chester e frutas cristalizadas? Ainda bem que elas não eram frescas para comer!
A melhor parte foi a parte das pizzas doces. Elas ficaram abismadas com as pizzas de chocolate e banana. A de banana elas chamaram de panqueca e tiraram foto das pizzas doces para levar de recordação. Um rodizio de pizza, que inclui massa e sorvete a vontade, aqui custa R$ 12,99. Não foi a mehor pizza do mundo, mas por esse preço está valendo muito a pena!
 
A Hidrelétrica de Itaipú é uma construção binacional. Tudo é metade brasileira e metade paraguaia. O financiamento foi assim, as pessoas que trabalham lá, a energia produzida e a administração (não é do governo, não é privado,  é administrado pelos 2 países, segundo um acordo XYZ).
 
Dei uma volta pela hidrelétrica para saber como ela foi contruida (mas o guia era bem ruim! Faltou um engenheiro civil para me explicar melhor).
 
Algumas curiosidades: na época da construção haviam 6 fábricas de cimento e 2 de gelo. Vocês devem estar fazendo a mesma pergunta que eu: mas pra que gelo? Para a caipirinha do fim do dia? O gelo ia na mistura do cimento para baixar a temperatura e evitar a formação de bolhas no concreto, já que o verão daqui chega a 48°C (engenheiros, me corrijam se eu estiver falando alguma besteira, mas isso foi o que me falaram lá).

Na usina de Itaipú

A enorme quantidade de água que mantém as turbinas em movimento

Itaipú, uma construção binacional

Como eu disse, toda a energia produzida é dividida – 50% Brasil e 50% Paraguai. Mas o Paraguai usa apenas 7% disso para abastecer mais de 90% do país. O que acontece com os outros 43%? São vendidos para o Brasil! Então o Brasil usa 93% da energia da maior hidrelétrica do mundo, que é suficiente para 20% do pais, enquanto o Paraguai usa 7% para quase o pais todo. isso faz sentido quando se pensa que o Paraguai tem 6MM de habitantes e o Brasil tem 190MM.
 
Ainda não fui fazer minhas compras no Paraguai, mas estive do lado paraguaio da hidrelétrica!

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Nascida em São Paulo, já chamou de casa o Japão, a Austrália, o Chile e tem o passaporte carimbado por uma volta ao mundo. Descendente de japoneses com orgulho e ativa na comunidade nikkei, participa de projetos para divulgação do Japão e para o fortalecimento da cultura japonesa no Brasil. Está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *