América do SulAtacamaChile

Dicas de San Pedro de Atacama

San Pedro é uma cidadezinha super pequena no norte do Chile, que abre as portas para um lugar fantástico – o deserto do Atacama e seus arredores. 

Passei alguns dias lá e acho que algumas dicas são muito válidas para os passageiros de primeira viagem e podem ajudar a evitar gastos e perrengues.

O clima

Prepare-se para o clima extremo! Esse é o deserto mais seco do mundo. O nariz sangra, a garganta seca, o sol queima sem dó e a noite faz muito frio. Um creme hidratante lá não é frescura, é quase sobrevivência. 
 
 
Agências de turismo
Outra boa dica é: antes de fechar os passeios, pesquise! O centro da cidade só tem restaurantes, hospedagens e agências de turismo. Opções não faltam. Não compre os pacotes da primeira agência que entrar ou o que sua hospedagem te oferecer.
 
Os passeios são todos muito parecidos, mas diferem em alguns detalhes. O transporte é um deles. Alguns vão em micro ônibus, com 30 – 40 pessoas e outras vão em vans, com 10 pessoas. Não precisa dizer muito, né! Na van o grupo é menor, você terá mais atenção, mais explicações e mais chance de negociar qualquer coisa com o guia. 
 
Pergunte detalhes de cada passeio em cada agência. O nome dos tours são iguais, mas o roteiro pode ser diferente. Cada tour tem uma atração principal, mas passa por outros lugares no caminho. Avalie qual o melhor custo x benefício.
 
Barganhe! Não é difícil conseguir descontos nos passeios, principalmente se você fechar um pacote de 3 ou mais tours na mesma agência ou se estiver em pelo menos 3 pessoas. O preço inicial de uma agência para outra varia bem, mas não leve apenas isso em consideração, pois a mais cara pode ser melhor e negociando, pode chegar ao mesmo preço da mais barata.
 
 
Passeios
San Pedro já está em uma altitude mais elevada e alguns passeios chegam a mais de 4 mil metros de altitude. Para quem não está acostumado, a altitude pode causar um certo desconforto – enjôo, dor de cabeça, falta de ar etc.
 
Vá com calma! Deixe seu corpo se acostumar antes de sair correndo e faça os passeios mais light primeiro – Lagunas Cejar, Valle de la Luna e dê uma vota pelo centro da cidade. O Salar de Tara, Lagunas Altiplânicas e Geysers del Tatio são os que vão mais alto, portanto deixe esses por último.

Mapa com as principais atrações da região
 
Água
Não preciso nem dizer que água é fundamental neste lugar, né? Beba muita água!
Comprar água não é uma das coisas mais baratas, mas é necessário. Quando fui pra lá (janeiro/13), uma garrafinha de 500ml custava 600 pesos. A garrafa maior, de 1,6 litros, saia por 1.000 pesos. Já o garrafão de 6 litros, por 1.600 pesos. 
 
A conta não é difícil de ser feita. Opte por comprar uma garrafa de 6 litros logo no início e use para encher garrafas menores (você não precisa carregar uma garrafa enorme pra cima e pra baixo).
 
 
Comida
San Pedro é uma cidade que vive do turismo, logo, é de se esperar que comida não seja algo muito barato. E não é mesmo! Existem milhares de restaurantes, para todos os gostos e todos os bolsos. Os da Caracolles, a rua principal, são os maiores e mais caros. Se começar a andar pelas ruas laterais você encontra outros mais em conta.
 
 
Experimente!
Durante sua passagem por San Pedro, experimente o sorvete de chañar. É uma fruta local e o único lugar do mundo que você vai encontrar esse sorvete é lá! Existem outras opções exóticas de sorvete também, como sorvete de pepino (pepino é uma fruta também). O centro da cidade tem 2 sorveterias.
Sorvetes atacamenhos. Experimente o de chañar
Empanadas são típicas do Chile! Mas acha algumas bem ruins não é difícil. A melhor de todas é a do pueblo Machuca, que faz parte do roteiro do tour para Geysers del Tatio. Claro que não dá pra ir lá sempre, então tente a que vende no Minimarket Veliz. Massa frequinha e recheio gostoso!
 

O pôr do sol
O pôr do sol no deserto é um dos maiores espetáculos da natureza. Reserve o final da tarde de todos os dias que estiver lá para apreciá-lo de lugares diferentes. Muitos passeios já o incluem em seus roteiros. Nesse momento as montanhas ficam com uma cor alaranjada. Esse fenômeno é chamado de golden hour.
Por do sol no deserto. Um espetáculo a cada dia
Para o aeroporto
Para sair da cidade existem as opções: aeroporto e ônibus, caso não esteja fazendo uma viagem de carro.
 
Se estiver indo para o aeroporto, o transfer custa cerca de 10 mil pesos. Outra opção é pegar um ônibus até Calama, por 2.900 pesos, e depois um táxi até o aeroporto, por mais 6 mil pesos.
 
Caso esteja viajando sozinho, opte pelo transfer. É mais rápido e mais cômodo, praticamente pelo mesmo preço do combo ônibus + taxi. Mas se conseguir rachar o taxi com alguém, já compensa o valor do trajeto mais trabalhoso.
Quer ajuda para montar o seu roteiro? A Camila, do blog O Melhor Mês do Ano tem opções para 3, 5, 7 e 10 dias. Dá uma olhada lá!
 

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *