DicasPlanejamentoViajar baratoVolta ao Mundo

Como economizar durante uma viagem?

Uma pergunta frequente que escuto é: como você consegue viajar tanto? E logo em seguida existem 2 vertentes: “eu queria ter dinheiro para viajar também” ou “como você consegue viajar barato?”.

A verdade é que nem toda viagem precisa ser cara, é preciso algum dinheiro para viajar sim, mas tudo depende das suas escolhas. Assim como é preciso dinheiro para ir jantar com um amigo, mas isso varia muito se você fizer uma macarronada em casa, for em uma pizzaria ou decidir ir ao restaurante daquele top chef.

Existem alguns artifícios que reduzem muito o custo de uma viagem e quanto mais barato, mais viagens conseguimos fazer, certo? E quando se trata de uma viagem longa cada centavo vale mais. Essas foram algumas das estratégias que usei durante minha volta ao mundo, mas as dicas valem para qualquer viagem.

Então vamos lá!

 

Passagem aérea

Passagem é um dos itens mais caros de uma viagem, principalmente se ela for internacional. Porém, é um item fundamental, afinal sem isso não tem viagem. Mas não se desespere, existem sim formas de reduzir esse custo.

1414861_51130807

 

Por ar ou por terra? 

É muito fácil relacionar viagem a passagem aérea, né? Não esqueça que esse não é o único meio de locomoção e dá para fazer muita coisa de ônibus, de trem ou mesmo alugar um carro e cair na estrada. É uma forma de estar mais perto dos locais ou de ter uma experiência muito mais divertida e aventureira, além de ser mais barato.

É claro que para chegar em outro continente o avião é a única opção (a não ser que você tenha muito tempo disponível), mas deslocamentos locais ou mais curtos nem sempre precisam ser por ar. Entenda qual o seu limite para encarar uma viagem por terra, tem quem passe 20 horas em um ônibus sem problemas, tem quem não aguente 4h.

 

Milhas

Tenha um programa de milhagem e faça bom uso dele. Sua passagem pode sair de graça e você só paga as taxas do aeroporto. Ou você pode pagar parte com milhas e parte em dinheiro, o que já ajuda bastante.

Lembre de pontuar todos os vôos que faz e se possível em um único programa. Existem alianças entre as cias aéreas, isso significa que todos os vôos da One World (o que inclui Lan, American airlines, Qantas, JAL, Iberia, British etc) pontuam no Fidelidade Tam, por exemplo. Juntar pontos em diferentes lugares = eles vão vencer antes de você conseguir usá-los.

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


Utilize seu cartão de crédito para juntar milhas também. Verifique qual a conversão, geralmente cada dólar gasto vira 1 milha, porém alguns cartões convertem 2 ou 3 milhas pelo mesmo valor.

Verifique outras formas de pontuar. Compras online, postos de gasolina, restaurantes, hotéis etc. Muitos deles pontuam também, mas você precisa solicitar. Fique atento!

 

Promoções

Aproveite as promoções, muitas valem muito a pena e vão economizar uma boa quantia. Datas comemorativas como aniversários das cidades geralmente tem promoções, por exemplo. Acompanhe as redes sociais ou cadastre-se para receber as newsletters das cias aéreas. Acompanhe também o Melhores Destinos. Eles sempre alertam passagens com bons preços!

Tenha em mente que passagens em vésperas de feriados são mais caras. O mesmo vale para sexta-feira e domingo. Se possível, comece sua viagem na terça ou quarta, quando as passagens são mais baratas. Compras com antecedência também valem mais a pena, basta se planejar para isso!

 

Cias Low Cost

Cias aéreas low cost também são uma ótima opção para economizar. Infelizmente não temos opções reais no Brasil, mas Ryanair na Europa ou Air Asia na Ásia são boas opções.

É preciso um certo planejamento, pois se comprar com antecedência os preços são excelentes! Cuidado com as “pegadinhas”, a passagem é barata, mas tudo (eu disse tudo!) além disso é cobrado. Tem taxa para despachar bagagem, para escolher seu assento, para comer durante o vôo e até para pagar com cartão de crédito. Compre tudo o que precisar online, junto com a passagem, e faça seu check in também online e não no aeroporto, ou vai pagar por isso também. Outra dica importante é que essas cias geralmente voam de aeroportos secundários, o que significa mais longe ou com o acesso mais difícil, portanto faça as contas antes de comprar a passagem, pode ser que ela seja mais barata que o seu deslocamento até o aeroporto.

 

 

Hospedagem

Este é outro item que não tem muito como fugir, afinal precisamos ter um lugar para domir, né? Porém existem muitas opções para pagar pouco ou nada.

Peru 556

 

Viagens noturnas

Sabe aquele deslocamento que demora mais de 7 horas e mata metade do seu dia? Que tal fazê-lo a noite? Seja de avião, de ônibus, de trem ou de barco, ao viajar a noite além do tempo passar mais rápido porque você vai dormindo, você não perde boa parte do dia e ainda economiza uma noite de hospedagem.

 

A casa do amigo

Use sua rede de contatos. Sabe aquele amigo que mora na cidade para onde você vai passar as férias? Veja se ele não tem um quarto sobrando ou mesmo um colchão que pode ficar ali no cantinho da sala ou no pé da cama dele.

Vale também o amigo do chefe, o tio do seu amigo ou a prima do colega de classe. Além de um lugar para dormir de graça, você terá contato com uma pessoa local, e isso significa fugir das armadilhas engana-turista, saber dos melhores lugares para comer ou fazer compras e por aí vai…

Tenha bom senso e leve uma lembrancinha, arrume sua cama, limpe sua sujeira e se ofereça para fazer tarefas como lavar a louça ou preparar o jantar. Entenda as regras da casa e lembre que você não está em um hotel.

 

Couchsurfing

Se você ainda não conhece o Couchsurfing está na hora de se aventurar em um sofá alheio. A rede reúne pessoas do mundo todo que estão dispostas a te oferecer um lugar para dormir apenas pela troca de experiências e conhecimentos. Sim, você vai para a casa de um desconhecido e não vai pagar nada por isso!

Pode parecer estranho, mas milhares de pessoas abrem suas casas sim. É seguro e você pode analisar o perfil da pessoa e todos os comentários que outros viajantes deixaram sobre ela. Faça seu cadastro na rede, preencha seu perfil e inicie sua busca. É preciso mandar um pedido para a pessoa que você escolher e se ele te aceitar vocês combinam como tudo vai funcionar. Dica: é difícil alguém aceitar uma pessoa que não tenha foto, perfil preenchido e referências. Os 2 primeiros itens não preciso comentar, certo? Para referências, peça para algum amigo que faça parte da rede te ajudar ou vá em um encontro local para conhecer pessoas. Você também pode fazer o mesmo e abrir sua casa para outros viajantes.

 

airbnb

O airbnb é outra rede que todo viajante deve conhecer. Por ela você pode alugar uma casa ou um quarto para a sua viagem, disponíveis em praticamente todas os países. O valor geralmente é inferior aos hotéis, principalmente se você alugar uma casa para um grupo.

A grande vantagem é que você sai da bolha turística que é um hotel e pode conhecer a vizinhança local e pegar dicas com o dono da casa. É um sistema seguro e que funciona bem, veja com atenção a descrição da casa e as referências.

Você também pode alugar sua casa quando sair de férias ou aquele quarto que está vazio e tirar uma graninha extra.

 

Hostel

Sabe aquela história que dizem por aí? Que hostel é sujo, perigoso e só tem gente estranha? Esqueça! Isso é preconceito e é mentira na grande maioria dos casos. Tem muito hostel por aí que é melhor que hotel – limpo, bom atendimento, ótima localização e boa infraestrutura. Tem os muquifos também, assim como existe muito hotel ruim, basta você saber escolher.

A opção mais em conta vai para os quartos e banheiros compartilhados. Além de economizar, é uma ótima maneira de conhecer pessoas. Se a sua privacidade é algo que você não abre mão, muitos tem quartos individuais com banheiros compartilhados ou mesmo suítes por valores bem mais acessíveis que hotéis.

Eu sou uma grande defensora dos hostels. Não é só pelo preço, mas o ambiente geralmente proporciona a interação entre as pessoas, as opções de passeios muitas vezes são mais baratas e as orientações são de longe melhores que em hotéis (provavelmente já tem um mapa pronto com indicações dos principais pontos, como chegar, o que fazer etc. Nada de te botar dentro de um taxi)

 

 

Alimentação

É fato que precisamos comer durante uma viagem, mas como economizar nesse quesito? Muito cuidado aqui, pois comer faz parte de conhecer o lugar, a cultura e as pessoas. Dá para gastar menos sim, mas não faça uma economia burra deixando de aproveitar o lugar, tente equilibrar as contas comendo baratinho em um dia e indo naquele restaurante recomendado no outro.

 

Cozinhar 

Cozinhar é com certeza uma das formas mais baratas de se comer, seja em casa ou durante uma viagem. Vá ao mercado mais próximo, compre os ingredientes e mão na massa! Só garanta que o local que você está tenha uma cozinha disponível.

Minha opinião: eu não gosto de cozinhar, então isso durante a viagem para mim é uma tortura, mas as vezes necessário. Outro ponto é que muitos hostels tem cozinha, mas elas são sempre cheias e nem sempre equipadas com o mínimo para você fazer um simples macarrão (as vezes todas as panelas estão no fogão, na pia ou na mesa).

Eu não descarto, mas é minha última opção para almoço e janta. Para café da manhã (quando não incluído na diária) eu costumo usar bastante ou mesmo para um lanche simples no fim do dia – um sanduíche, um miojo ou apenas para esquentar algo no microondas. Se cozinhar não é nenhum problema para você, não há melhor forma de economizar uns belos trocados!

 

Comida de rua

Tem quem ame e tem quem odeie as famosas barraquinhas de rua. Eu saio experimentando (quase) tudo por aí, desde que elas tenham o mínimo de higiene. Se for aquela que está sempre cheia então… é porque alguma coisa boa tem ali! (só a fila que não).

No geral, além de mais baratas que um restaurante, é uma experiência local. Conhecer a comida típica faz parte de conhecer o lugar.

 

 

Turismo Local

Conhecer o local é obrigatório, afinal você foi até o lugar para isso, certo? Existem formas de aproveitar o lugar sem gastar horrores sim!

 

Transporte

Transporte público para quem está em viagem econômica é mandatório. Esqueça os taxis, a não ser que não exista outra opção. As principais cidades do mundo são bem servidas por metrôs, trens, ônibus e outras formas de transporte a um custo acessível. Isso vale desde o aeroporto, nada de pegar um taxi só porque está com malas.

Eles podem ser super simples de usar… ou não! Tudo vai depender do local. Pesquise antes de ir e pegue indicações com a recepção do hostel ou com o seu host para não ter problemas. Geralmente comprar bilhetes múltiplos, semanais ou cartões pré-pagos valem muito mais a pena que passagens individuais. E tenha sempre o seu endereço com você.

Mais uma vez, além de mais barato você vai interagir com a cultura local e com os locais. Ah! E para distância mais curtas não há melhor transporte que suas pernas. Coloque elas para trabalhar!

 

Tours

É preciso conhecer lugares sim e isso não significa que você precisa contratar um tour – aquele que te pega na porta do hotel, te coloca em uma van com 10 pessoas (ou muito mais), te leva para os locais quando eles estão sempre cheios, você sempre tem horário para fazer tudo, almoça no lugar que eles escolhem (e onde eles ganham comissão) e de brinde ainda para naquela loja super turística para fazer compras (onde eles também ganham comissão). É verdade que pagar um tour em alguns casos ainda é uma boa, mas esses são exceção. Fuja disso sempre que possível!

Dá para fazer muita coisa por conta própria usando um mapa, transporte público e sua habilidade de perguntar. City tour com agência nunca mais, hein! Para lugares de acesso mais difícil, se estiver com amigos dá para dividir o aluguel de um carro, se estiver sozinho que tal uma moto ou uma bicicleta? Com a vantagem de fazer tudo no seu tempo e apenas o que você tiver vontade.

Uma boa opção é se juntar aos free walking tours. Muitas cidades tem, basta pesquisar ou perguntar. Como o nome diz, são passeios a pé e um guia vai te explicar a história da cidade e mostrar os principais pontos. Geralmente eles partem de um ponto super bem localizado e de fácil acesso (entenda perto do metrô, trem ou ônibus) e são grátis! Você apenas dá uma gorjeta para o guia, o quanto você acha que valeu o passeio.

 

Seja como um local

Você não precisa estar tirando foto em um ponto turístico 100% do seu tempo. Aproveite para curtir a cidade, andar sem rumo, passear no parque, caminhar na praia, curtir um café, apreciar os artistas de rua… veja que para todas essas opções você vai gastar pouco ou  nada e não vai deixar de aproveitar o seu tempo.

Que tal usar o Couchsurfing aqui também? Ele não serve só para hospedagem, mas também para encontrar alguém com quem você pode passar o dia, sair para jantar ou para uma cerveja no fim do dia.

 

Compras

Compras não fazem parte do roteiro de viajantes com o orçamento apertado, mas convenhamos que algumas vezes não dá para fugir. O que fazer, então?

IMG_3186

 

Vá no lugar certo

Pergunte aos locais onde eles iriam fazer as compras deles. Resista a tentação de ir naquela lojinha do lado da principal atração da cidade, lugares turísticos são caros.

Saiba quando é a época de promoções ou onde conseguir cupons de descontos também. Em alguns lugares você tem desconto se fizer um cadastro ou apresentar seu passaporte.

 

Dia a dia

Coisinhas simples do dia a dia podem fazer diferença no seu orçamento, sabia? Veja só:

 

Apps

Pare de gastar dinheiro comprando guias e mapas. Hoje existem opções de apps gratuitos e você ainda se livra do peso de carregá-los. Veja aqui algumas dicas.

 

Seja prevenido

Saia todos os dias com uma garrafinha de água na bolsa. Parece besteira, mas comprar uma garrafa todo dia significa o dinheiro de um jantar ao fim de uma semana. Se você a comprar no restaurante que almoçou ou pegar aquela do frigobar que tem no quarto, pior ainda! Leve uma garrafa pequena de casa, compre uma garrafa grande no mercado e vá enchendo diariamente.

Tenha um pacote de lencinhos sempre. Evite ter que comprá-los para aquele banheiro que não tem papel. Alguns restaurantes na Ásia cobram pelos guardanapos, por mais estranho que possa parecer.

Carregue uns snacks para quando bater aquela fome no meio da tarde. Bolachinhas, chocolate, barra de cereal ou uma fruta, claro que tudo você comprou no mercado.

 

 

E você? O que faz para economizar nas suas viagens? Deixe seu comentário!

 

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

4 Comments

  1. 25/01/2015 at 21:32 — Responder

    Oi, Patrícia! Estou adorando navegar pelo seu blog. As dicas de economia são preciosas. Veja abaixo minha colaboração, extraída do meu blog, para este post:

    1 – Cheque sempre no país que está visitando se a água da torneira pode ser consumida. É comum, na maioria dos países europeus, água potável nas torneiras. Isso significa uma grande economia em água.

    2 – Leve sua bolsa de pano para as compras. Além de ser uma atitude simpática e eco-consciente, significará economia em alguns mercados, onde cobram as sacolas plásticas.

    3 – Ao adquirir suas passagens de avião, se houver voos internos comprados separados do trecho internacional, fique atento a franquia do peso das bagagens destes voos. Pois muitas vezes os voos domésticos têm limites de pesos inferiores aos dos voos internacionais, obrigando o passageiro a pagar caro pelo excesso de bagagens.

    4 – Antes de viajar, pesquise na internet se os museus que você deseja visitar têm algum dia da semana com entrada gratuita. Isso é muito comum na Europa. Em Londres, grande parte dos museus tem entrada franca diariamente. Como dizem os britânicos, “uma cortesia para a humanidade”!

    • 26/01/2015 at 12:39 — Responder

      Adriana,
      Obrigada pela visita e ótima contribuição! Adorei suas dicas.
      Bjo

  2. Tieko
    10/02/2015 at 10:12 — Responder

    Uau, Patte!
    Dicas essenciais!
    =)

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *