BarcelonaEspanhaEuropa

Barcelona: um dia em Montjuic

Um dos lugares que eu mais gostei em Barcelona foi o Parc de Montjuic. Ele fica em uma montanha no meio da cidade e seu nome significa montanha dos judeus, em catalão. A região é consideravelmente grande e está repleta de atrações, pode reservar no mínimo metade de um dia (de preferência a parte da tarde) se seu tempo na cidade estiver apertado. Se tiver com mais tempo dá para passar o dia todo por lá, tranquilamente.

Boa parte do passeio é em áreas abertas, portanto escolha um dia bonito para ir e que não esteja chovendo. Existem várias formas de chegar lá, o lugar é muito bem servido pelo transporte público. Dá para chegar pelo topo ou pela base da montanha, mas sugiro começar por cima por dois motivos: primeiro que passar o dia descendo é mais fácil que subindo e a Fonte Mágica fica na base da montanha e os shows são no fim do dia.

Mas vamos lá: caso você queira começar por baixo, basta pegar o metrô e descer na estação Espanya (L1 vermelha, L3 verde ou L8 rosa) e subir pela Av. Reina Maria Cristina, não tem muito como errar. Para quem começa por cima o caminho é um pouco mais longo: vá até a estação Paral-lel (L2 lilás ou L3 verde) e de lá pegue o funicular de Montjuic. Ele é integrado, é como fazer uma baldeação e não precisa pagar nada se você chegar lá pelo metrô (se não for o caso, a passagem tem o mesmo valor de uma viagem e metrô). Só há duas estações nesse funicular, em uma você embarca e na outra desembarca. Simples! De lá, siga para o Castelo de Montjuic, há três formas: andando montanha acima (devem ser uns 15 minutos de subida, mas não é nada tão horrível), pegando o ônibus 150 (integrado) ou de teleférico. Esse último é a opção mais cara (7,50 euros), mas a mais divertida e durante a subida você terá belas vistas da cidade. Há a opção de comprar passagem de ida ou ida e volta, mas se for passar o dia lá a volta não é necessária, uma vez que o fim do passeio vai ser na parte baixa da montanha e perto de uma estação de metrô. Você não vai querer subir tudo de novo para pegar o teleférico de volta.

Teleférico de Montjuic
Teleférico de Montjuic

 

Uma vez lá em cima, visite o Castell de Montjuic. Ele foi construído em apenas 30 dias, no ano de 1641, e ocupado pelos franceses para defender a Catalunya das tropas espanholas. Foi palco de muitas guerras e execuções, além de prisão para presos políticos, entre outros fatos da história da Espanha.

A entrada custa 5 euros e há visitas guiadas por 4 euros. Sinceramente, não há muito o que ver no interior do castelo, se você entrar, talvez seja válido pagar pela visita guiada também e ter mais informações. Senão, o que vale é a vista para o porto, mas há um mirante do lado de fora que tem praticamente a mesma visão (mas um pouco menos alta). Há um museu no interior que fala um pouco sobre a história do próprio castelo e sobre fatos históricos do país, mas ele está todo em catalão (que é uma língua local e diferente do espanhol, mas brasileiros conseguem entender bem com um pouco de esforço). O jardim do castelo é bonito, apesar de pequeno, e também pode ser visto de fora. Há aulas de arco e flecha, que valem a pena pelo menos assistir uns 5 minutinhos.

Castell de Montjuic
Castell de Montjuic

 

Saindo do castelo, desça até o Mirador l’Alcalde. Dá para descer pela calçada da estradinha (onde passam os carros e ônibus) ou por uma trilha no meio das árvores. Na estrada não tem nada para ver, a trilha é um caminho mais agradável. O mirador tem vistas bonitas da cidade e uma pracinha com uma lanchonete. Aliás, há várias lanchonetes no caminho, todas um pouco caras, recomendo que você leve uns sanduíches e snacks para comer durante o dia.

Continue descendo até chegar nas piscinas públicas. Mais uma vez, aqui dá para descer pela estrada ou por dentro do Jardim Joan Brossa. Não preciso dizer qual é a melhor opção, né? Tem vários caminhos por dentro do jardim e a probabilidade de você se perder um pouco lá dentro existe, mas esta é a graça do passeio!

A entrada para ver a piscina é gratuita e ela foi palco dos jogos olímpicos de 92. Quando eu fui estava tendo um campeonato de polo aquático, é bacana ver que as construções feitas para as olimpíadas estão sendo utilizadas (imagino o que vai acontecer com as do Rio daqui alguns anos).

Piscinas públicas de Montjuic
Piscinas públicas de Montjuic

 

Caminhando um pouco mais você chega a Fundació Joan Miró, uma galeria cheia de suas esculturas e pinturas. A entrada custa 11 euros.

Mais a frente ficam os Jardins de Joan Maragall. Ele é lindo! Cheio de fontes e banquinhos para descansar no meio das árvores. É um ótimo lugar para aqueles sanduíches que você está carregando o dia todo. Ele é gratuito e fica aberto apenas até 15h, então programe-se para chegar lá antes disso. A visita vale a pena, nem que sejam só 10 minutinhos.

Jardins de Joan Maragall
Jardins de Joan Maragall

 

Do outro lado da rua fica o Museu Olímpic i de l’Esport que obviamente é sobre esportes e sobre as olimpíadas, e a entrada custa 5 euros. Bem na frente te uma estátua de uma pessoa com arco e flecha, para lembrar a forma como a pira olímpica foi acendida em 92 (foi atirada uma flecha em chamas). Seguindo pela calçada você verá no chão algo parecido com a calçada da fama de Hollywood, é o Passeig de la Fama, com as pegadas de atletas conhecidos, como Nadia Comaneci (a ginasta) ou Michael Jordan (do basquete), e repare que cada um usa o calçado característico do seu esporte.

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


Logo você chega ao Estadi Olímpic Lluís Companys, palco das olimpíadas de 92 em Barcelona. Na parte de fora e bem visível fica a pira olímpica e no interior você verá as arquibancadas o gramado e as pistas de corridas, também utilizadas nas olimpíadas. A entrada no estádio é gratuita, mas não dá para visitar os bastidores.

Estadi Olímpic Lluís Companys
Estadi Olímpic Lluís Companys

 

Bem ao lado do estádio fica a Anella Olímpica, também parte das construções para os jogos olímpicos. O Palau Sant Jordi foi o ginásio principal do evento, não deixe de apreciar as fontes e esculturas que estão por lá, a Torre de Telecomunicacions e seu design moderno e a plaça d’Europa.

Atrás do estádio olímpico fica o Jardí Botànic, cheio de plantas da Austrália, Ilhas Canárias, regiões da África e Mediterrâneo. A entrada custa 3,50 euros e aos domingos a partir de 15h a entrada é gratuita. A visita só vale se você gosta de plantas e entende sobre o assunto, pois todo o local é cheio de plaquinhas com os nomes científicos. Eu gosto de ir aos jardins botânicos, apesar de não entender nada sobre plantas, porque geralmente são lugares super bonitos, mas não é muito o caso deste. Além disso, ele não é muito bem sinalizado e mesmo com o mapa em mãos eu me perdi infinitas vezes lá dentro. A parte que gostei é a exposição de bonsais, mas também não é lá tudo isso.

Exposição de bonsais no Jardim Botânico
Exposição de bonsais no Jardim Botânico

 

Não longe dali fica o MNAC (Museu Nacional d’Art de Catalunya), uma grande galeria cheia de peças de arte, entre pinturas, esculturas etc.  O valor de entrada é de 12 euros. Se você não entrar no museu, pelo menos aprecie a arquitetura. A construção é enorme e chama atenção, não tem como não reparar.

Em frente ao MNAC está a Av. Reina Maria Cristina, com duas construções que chamam atenção. Uma delas são quatro colunas em estilo grego que representam a bandeira da Catalunya, a outra são duas torres cópias do campanário da Praça de São Marcos, em Veneza.   

Av. Reina Maria Cristina e o MNAC ao fundo
Av. Reina Maria Cristina e o MNAC ao fundo

 

Seguindo pela avenida você chegará na Plaça Espanya, com uma enorme fonte no centro. Atravessando a rua fica o Arenas de Barcelona, que nada mais é que um shopping (eu fui domingo e todas as lojas estavam fechadas). O último andar é aberto e rende belas fotos! Lá também tem uma porção de restaurantes, mas se quiser algo mais em conta vá para o subsolo do shopping.

Para fechar o dia, assista ao show da Font Màgica, um show de luzes, cores, água e música. A fonte fica em frente ao MNAC e o lugar fica super lotado, então chegue pelo menos meia hora antes do início se quiser garantir um lugar para sentar (nas escadas ou nos parapeitos), mas andar ao redor da fonte durante o show também não é nada mal. Preste atenção aos horários, pois eles variam conforme a época do ano.

Font Màgica
Font Màgica

 

A estação de metrô fica na Plaça Espanya, de lá é só seguir de volta para seu hotel.

 

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *