Reflexão

Viajar é…

Quem disse a famosa frase “viajar é preciso” estava em um momento de extrema lucidez (ou seria completamente louco?). É preciso sim, afinal, como dizia Quintana, “viajar é trocar a roupa da alma”. E eles estão todos certos. Vez ou outra devemos mesmo nos desconectar do nosso mundinho para se conectar com o mundo lá de fora e também se conectar com a gente mesmo.

Existem viagens e viagens. Cada uma com o seu estilo e com o seu propósito. Tem as que são para fugir e as que são para encontrar. Tem as que a gente muda para um lugar e as que o lugar que muda a gente. Tem aquelas que apreciamos a paisagem e as que olhamos para dentro de nós mesmos.

Leia também: 10 motivos para viajar o mundo

Então, afinal… o que é viajar? Difícil definir, mais difícil ainda é explicar as suas consequências.

 

Viajar é conhecer outras culturas

Só uma viagem te permite se conectar com novas culturas e entender as diferenças que existem entre cada povo. Seja uma tribo indígena da Amazônia, um povoado das montanhas do Vietnã, uma comunidade nórdica na Europa ou aquela cidade que fica ali, alguns quilômetros da sua.

De nada adianta sair de casa e atravessar meio mundo (ou não) para reclamar da comida esquisita, do povo mal educado, da passagem de ônibus muito cara e rir daquele sotaque que é diferente do seu. Ou pior, comparar lugares e falar mal da cidade (ou do país) que te acolhe como morador (e vamos combinar, é muito fácil fazer isso sem perceber!).

Cada cultura tem suas crenças próprias, seus rituais e tradições, suas comidas típicas e seu idioma, dialeto, gírias etc. Cada detalhezinho desses é uma peça que compõe a identidade do grupo e entender que diferenças estão aí para expandir nossos horizontes e somar à nossa vida é algo incrível. Se você não está aberto para o diferente, pense bem antes de sair da sua casa.

Quanto mais coisa diferente a gente conhece, mais a nossa visão de mundo se transforma. E isso muda muita coisa! Aceitar a diversidade, ter mais tolerância, entender outros pontos de vista e aprender a dar valor ao que temos é só o começo. Por mais viagens com choque cultural!

 

Viajar é conhecer outras realidades

Puxando o gancho do tópico acima, viagens também nos proporcionam ver realidades em que não vivemos. Não apenas no quesito cultural, mas também no sócio-econômico. Tem países que praticam a cultura da mulher submissa, lugares que vivem na extrema pobreza, cidades de consumismo fora do normal, religiões que defendem pontos que você não concorda ou pessoas que comem cachorros. Isso é só para citar alguns exemplos, mas tem muito mais.

É chocante? Sim, e as vezes até demais. Pode ser triste, pode dar raiva, nojo ou um turbilhão de reações e sentimentos (para você). Tudo é uma questão de referência. Certo e errado ou bom e ruim dependem muito do ponto de vista. E cada um tem o seu.

Isso pode ser polêmico. Dá para aprofundar e chegar em assuntos como extinção das baleias, homens-bomba, cultura machista, corrupção, religiões que praticam o sacrifício como oferenda etc. Vamos tirar esses casos extremos dessa discussão porque a ideia não é definir o que é certo e o que não é, ok?

Está gostando desse artigo? Que tal curtir o Bagagem de Memórias no Facebook?


O ponto aqui não é defender nenhum dos lados, mas entender que o mundo é maior que imaginamos e que pessoas são influenciáveis e se adaptam ao meio em que vivem. Ninguém precisa concordar com tudo, mas sim compreender e respeitar que essas diferenças existem. Por mais viagens que abram nossa cabeça!

 

Viajar é trocar experiências

Você já parou pra pensar na quantidade de experiências novas e oportunidades de aprendizados que estamos expostos durante uma viagem? Não estou falando só de experiências do tipo pular de paraquedas ou mergulhar com tubarões, mas de pequenas coisas que muitas vezes passam sem percebermos.

Conversas com pessoas que não falam a mesma língua que você, novos amigos de viagem, solução de problemas inesperados, aqueles perrengues que acontecem de vez em quando, aquele prato de comida que é novidade para o seu paladar… enfim, vou parar por aqui porque essa lista não tem fim.

Todos esses exemplos (e muitos outros mais) têm 2 pontos em comum. O primeiro é que eles sempre te ensinam alguma coisa, seja uma palavra em outro idioma, seja desenvolver sua habilidade de negociar. E o segundo é que sempre tem alguém do outro lado e além de aprender, você tem a oportunidade de ensinar também. Pode ser uma forma diferente de pensar, pode um gesto que faz parte da sua cultura.

E quer coisa melhor que isso? Aprender nunca é demais, nos torna pessoas mais interessantes, com mais repertório para conversas diversas, sem falar nas histórias que temos para contar. Por mais viagens que agreguem aprendizados à nossa bagagem!

Photo via Jeevan via VisualHunt

 

Viajar é aprender com o mundo

O mundo é uma grande escola. Alguém tem dúvidas? Nessas andanças por aí a gente aprende muita coisa que as escolas não ensinam. Já falamos tanta coisa aí em cima: outras culturas, realidades diferentes e troca de experiências.

Viagens por vezes tiram a gente da nossa zona de conforto e é aí que a mágica acontece! É no novo que encontramos as maiores lições, que descobrimos que somos capazes de coisas que não tínhamos ideia, que quebramos nossas próprias barreiras.

E no meio de tudo isso acontece uma revolução dentro da gente, que muitas vezes nem percebemos. De pouquinho em pouquinho vamos nos transformando, um tantinho por dia, um monte a cada viagem. E assim, vamos nos tornando pessoas mais conscientes, mais críticas, mais sábias… melhores.

Eu acredito que o mundo muda a gente. E a gente muda o mundo. Mas… precisamos abrir as portas para que tudo isso aconteça. Permita-se! Por mais viagens que transformem a gente na nossa melhor versão de nós mesmos!

Photo via josealbafotos via Visual hunt

 

Viajar é ser mais feliz

Não dá pra negar que depois de ver tanta coisa por aí, a gente aprende a dar valor a nossa liberdade, entende que é possível viver com menos, se desapega de um tanto de coisas e acha inspiração para se reinventar.

Atire a primeira pedra quem nunca se pegou sorrindo sozinho ao lembrar de uma viagem que fez. Quem nunca riu até a barriga doer contando histórias únicas que aconteceram nas férias? Quem nunca sentiu saudades de um lugar ou de um momento ao rever o álbum de fotos do intercâmbio? Quem nunca teve vontade de voltar no tempo só para retornar para aquele lugar especial?

Viagens mexem muito com aquela caixinha em que a gente guarda todas as coisas que marcaram a nossa vida. Aquela caixinha cheia de lembranças gostosas que a gente mantém com carinho. Aquela caixinha que a gente abre de vez em quando porque nos transporta para aquele momento que foi muito bom. E temos que cuidar bem dessa caixinha chamada memória, porque é o melhor que carregamos de cada aventura. Por mais viagens que deixem muitas recordações na nossa memória!

 

E para você? O que é viajar?

 

* Todas as fotos: visualhunt

 

Leia mais:

Mochilar é…

Bucket list de viagens: já fez a sua?

Aquela viagem da qual eu nunca voltei

O que eu perdi mochilando

Top 10 experiências da minha volta ao mundo

The Author

Patricia

Patricia

Patricia é educadora de formação, marketeira de profissão, blogueira por hobby e viajante por paixão. Amante da natureza, de aventuras, da cultura asiática e de causas sociais, reside em São Paulo, mas já morou no Japão, na Austrália e no Chile, já deu uma volta ao mundo e está sempre em busca de boas recordações para adicioná-las à sua bagagem de memórias.

20 Comments

  1. 06/01/2017 at 19:29 — Responder

    adorei o texto Patrícia, é bem assim que penso também, acho o cúmulo quando algumas pessoas reclamam ou tem preconceito da comida, sotaques e da cultura de um lugar bem diferente ao nosso, viajar é preciso pra quebrar esses paradigmas.

    • 09/01/2017 at 13:28 — Responder

      Pois é, Flavia. O mundo é muito grande para todos serem iguais, né?
      A graça está na diversidade.

  2. 07/01/2017 at 16:52 — Responder

    Resumo perfeito! 🙂 Daria pra incluir umas 20 coisas mais, algumas coisas específicas de pessoa pra pessoa… mas viajar é ser feliz 🙂

    • 09/01/2017 at 13:29 — Responder

      É ser feliz, com certeza!!
      A lista, realmente, é infinita. =)

  3. 07/01/2017 at 21:01 — Responder

    Viajar é isso tudo! Somos professores e alunos e o nosso planeta é a nossa sala de aula. Aprendemos tanto sobre nós, os outros e o Mundo quando viajamos e sem querer também ensinamos sobre o nosso estilo de vida, os nossos valores, opiniões, cultura. Acima de tudo é uma partilha super saudável!

  4. 07/01/2017 at 21:18 — Responder

    Texto maravilhoso, Patricia! Concordo com tudo que você falou. Todo mundo antes de viajar precisava ler um texto desses e aprender que viajar não é só ir pra um lugar diferente, visitar meia duzia de pontos turisticos e tirar foto. ´Viajar é essa troca maravilhosa, é um aprendizado tão intenso, é algo transformador sem dúvida alguma. <3

    • 09/01/2017 at 13:30 — Responder

      Viagens transformam pessoas, se elas quiserem, certo?
      Cada um tem o seu tempo.

  5. 07/01/2017 at 22:44 — Responder

    Ótimo texto, Patrícia! Desde criança eu sonho em conhecer o mundo a cada novo Globo Repórter hausidhausi, e desde que fiz minha primeira viagem “sozinha”, o bichinho da viagem me picou e quero mais e mais. Acho que todos os pontos que você citou são extremamente válidos, principalmente para termos a chamada “visão de mundo”.

    Beijos, Vickawaii

    • 09/01/2017 at 13:32 — Responder

      Esse bichinho da viagem…. bem-vinda ao time!
      Essa vontade do mais e mais não termina nunca. Muitas viagens e descobertas para vc!

  6. Marcia
    07/01/2017 at 23:13 — Responder

    Nao me canso de ler sobre os benefícios de viajar. Nao entendo pessoas que, ano após ano vão para o mesmo destino, com tanto mundo para conhecer. Difícil caber a maior parte de suas definições para elas. Que pena, perdem muito, não acha?

    • 09/01/2017 at 13:34 — Responder

      Cada pessoa tem seu tempo para descobrir e aprender. Viagens para o mesmo lugar não são iguais sempre.
      Concordo que o mundo é grande e tem muito para ver. Quanto antes começarmos, mais aproveitamos! =]

  7. 08/01/2017 at 17:30 — Responder

    Nossa, como concordo com esse texto! Viajar é muito preciso, pra mudar, pra crescer, pra ter novas experiências, pra aprender! Viajar hoje é parte essencial da minha vida!

    • 09/01/2017 at 13:35 — Responder

      Somos duas! ahahaha
      Não consigo me imaginar vivendo sem cair no mundo. Ficar muito tempo no mesmo lugar me incomoda.

  8. 08/01/2017 at 18:50 — Responder

    Que delícia de texto! Viajar é tudo isso e muito, muito mais <3 seja para perto, ou longe, sempre conhecemos algo novo e novas experiências.

    • 09/01/2017 at 13:36 — Responder

      O importante é estar em movimento! Com a cabeça aberta e a alma livre!

  9. 09/01/2017 at 13:58 — Responder

    Que post necessário, Patrícia! Cada vez mais tenho praticado essas coisas nas minhas viagens, passam a ser experiências de vida e não só mais um novo lugar, né?

    • 10/01/2017 at 11:24 — Responder

      Isso aí! Experiências, memórias e aprendizados para a vida!

  10. 09/01/2017 at 15:03 — Responder

    É ISSO! Amei este texto. Seria loucura dizer que viajar nos torna pessoas melhores? Quando abrimos os olhos e conseguimos apreciar o que temos e agregar novos costumes e valores, isso nos enriquece. Se soubermos compartilhar essa riqueza, melhor ainda!

    • 10/01/2017 at 11:26 — Responder

      Eu acredito muito nisso. Que viagens podem nos transformar em versões melhores de nós mesmas. Eu sou outra pessoa depois que me joguei no mundo e a evolução é constante. Sempre em busca de novos aprendizados. =]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *